NOVIDADES

Selecione a Categoria

Conheça quatro tipos de sistemas para irrigação

14.06.2018 | EM Notícias

Com o avanço da agricultura, técnicas de irrigação foram desenvolvidas ao longo dos anos. Cultivar frutas, legumes e verduras fora do ambiente original da espécie, faz com que agricultores descubram novas técnicas de manejo da água, para que a plantação seja rentável. Ligado ao clima local, condições de solo e cultura de cada região, quatro tipos de irrigação foram desenvolvidos com o passar dos anos.

Irrigação por Aspersão

Com melhor adaptação em diversas culturas e topografias regionais, a irrigação por aspersão é caracterizada pelo disparo de um ou mais jatos de água em pequenas gotas no ar, formando uma pequena chuva artificial, cultivando o solo. Esta técnica utiliza o aspersor, mecanismo responsável por pulverizar o jato de água pela área.

Irrigação Autopropelido

Este tipo de irrigação é bem semelhante ao sistema por aspersão, porém utiliza apenas um único canhão montado sobre um carrinho, que se movimenta pela área irrigável. Seu manejo é simples e prático, e a forma é recomendada para terrenos planos ou levemente inclinado, como pastagens, pomares e cafezais.

Irrigação por Microaspersão

Recomendado para diversas culturas, o sistema de irrigação por microaspersão se adapta facilmente a diferentes tipos de solo. O processo utiliza jatos que lançam gotas de água em forma de chuva, formando uma precipitação sobre o terreno. A técnica também é semelhante ao sistema por aspersão, porém mais suave.

Irrigação por Gotejamento

Simples e de fácil acesso, a irrigação por gotejamento é ideal para o cultivo de frutas e vegetais, pois deposita a água diretamente na raiz das plantas, formando faixas de terra úmida. É o sistema mais econômico, pois a evaporação da água é reduzida e o desperdício é quase inexistente.

Conheça a diferença entre aquecimento por passagem e por acumulação

01.06.2018 | EM Notícias

O uso de aquecedores a gás tem crescido cada vez mais. Com o custo de instalação mais baixo que o do aquecimento solar, e melhor benefício em comparação com o sistema elétrico, os aparelhos a gás são a alternativa mais econômica para construções comerciais e residenciais. Porém são necessários alguns cuidados na escolha das conexões no momento da instalação.

As duas principais formas de funcionamento dos aquecedores a gás são por passagem e por acumulação. Hoje explicamos a diferença entre os dois sistemas.

Os aquecedores que funcionam por passagem não precisam de reservatório, pois a água é aquecida à medida que passa por uma serpentina localizada ao redor da câmara de combustão. Neste sistema, a chama só é acesa quando o ponto de consumo de água, seja um chuveiro ou uma torneira, são acionados.

Já nos aparelhos que aquecem por acumulação, o sistema é diferente. A água passa por uma serpentina e fica armazenada dentro do boiler, uma espécie de caldeira elétrica, geralmente instalada no forro ou em falsos armários. O controle do aquecimento é feito por um termostato, e o consumo da água pode ser imediato ou posterior.

Independente do sistema adotado, os registros e as conexões utilizadas precisam ser certificados pelos órgãos competentes, como o INMETRO e a ABNT, para que o uso seja seguro, duradouro e econômico. A IPC Brasil é comprometida com a qualidade de seus produtos e com o atendimento aos clientes, garantindo as melhores opções para a sua obra ou construção.

Dólar atinge maior cotação em dois anos

22.05.2018 | EM Notícias

Momento é de colocar pedidos antes do impacto nos preços

O preço do dólar continua assustando importadores. Na última semana, por exemplo, a moeda encerrou a sexta-feira com valorização de 3,85%, cotada em R$ 3,74 - a maior desde abril de 2016.

Em 25 de janeiro a moeda fechou em R$ 3,14 e, de lá para cá, atinge quase 20% de alta. 

Apesar das intervenções do Banco Central, analistas apostam em impacto sobre preços e aconselham que revendas e consumidores antecipem suas compras, evitando a incidência de aumento de custos no produto final.

Com variação de 0,26%, índice da construção civil fecha abril em alta

15.05.2018 | EM Notícias

Em abril, todas as regiões apresentaram índices positivos

Com o mercado voltando a aquecer, o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), fechou abril em 0,12% acima da taxa de março, ficando em 0,26%. No acumulado dos doze últimos meses, o índice ficou 3,61%, superior ao registrado no mesmo período anterior, que foi 3,49%. Calculado mensalmente pelo IBGE, os número foram divulgados na primeira quinzena de maio.

Já o custo nacional da construção, calculado por metro quadrado, fechou abril em alta, ficando em R$ 1.077,16, sendo  R$ 523,01 à mão de obra e R$ 554,15 relativos a materiais. A parcela dos materiais registrou variação de 0,14% - a menor do ano até o momento - e a de mão de obra variou em 0,37%, alta de 0,55 p.p, referente ao mês anterior, que registrou negativa de -0,22%.

No acumulado de janeiro até abril, o índice de materiais ficou em 1,68% e 0,25% para mão de obra. Já no últimos doze meses, a alta dos materiais ficou em 3,70%, a de materiais em 3,54%.

Durante o mês que passou, todas as regiões apresentaram índices positivos, com destaque para a região Sul, que registrou alta de 0,40%. Sudeste e Centro-Oeste empataram na segunda posição, com 0,31%, seguidas por Nordeste, que ficou com 0,16% e Norte, 0,07%.

O custo total por metro quadrado em cada região foram: R$ 1.123,96 (Sudeste); R$ 1.115,02 (Sul); R$ 1.090,29 (Centro-Oeste); R$ 1.069,19 (Norte) e R$ 1.069,19 (Norte). Sob impacto de reajuste previsto em convenção coletiva, Minas Gerais foi o estado que apresentou a maior variação mensal (1,44%).

Índice Nacional da Construção Civil varia 0,18% em dezembro e fecha 2017 em 3,82%

23.04.2018 | EM Notícias


O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), realizado pelo IBGE, apresentou variação de 0,18% em dezembro de 2017, ficando 0,30 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa do mês anterior. O indicador acumulado no ano foi de 3,82%, abaixo dos 6,64% registrados no ano anterior.

Aniversário IPC Brasil

09.04.2018 | EM Notícias

Há 10 anos a IPC Brasil traz na sua base o pioneirismo, o conhecimento e a experiência no setor de conexões de ferro maleável. E hoje, com nossa atuação muito mais abrangente, é dia de comemorar e agradecer aos colaboradores, fornecedores, clientes e amigos pelo sucesso, que é de todos nós. Parabéns. 

A IPC Brasil homenageia as mulheres que superam o preconceito em diversas áreas lideradas por homens

08.03.2018 | EM Artigos

Desde 8 de março de 2006, a ONG Mulher em Construção trabalha para promover a autonomia, a cidadania e o empoderamento da mulher nos ofícios da construção civil. Inserir a mulher num mercado predominantemente masculino, contribui para a redução da desigualdade e da discriminação de gênero. 

Conheça os cinco passos para uma irrigação correta

26.02.2018 | EM Artigos

A irrigação é uma técnica capaz de suprir as necessidades hídricas de uma área com plantação que possui má distribuição de chuva ou baixa distribuição de água. Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), o Brasil está entre os dez países com a maior área irrigada do planeta. E para ajudar, a IPC Brasil separou cinco dicas para você ter sucesso na hora da irrigação.

Qual a importância das normas ABNT na construção Civil?

23.01.2018 | EM Artigos

No Brasil, a construção civil possui alto nível de normatização. A maioria dessas normas é elaborada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT.

Conheça erros comuns nas instalações hidráulicas

15.01.2018 | EM Artigos

Realizar uma obra, reforma ou instalação exige atenção para evitar que erros aconteçam no projeto ou durante sua execução. Para evitar dores de cabeça, a IPC Brasil listou alguns erros frequentes nas instalações hidráulicas e como evitá-los.