NOVIDADES

Conheça os principais sistemas de irrigação

08.11.2017 | EM Artigos

A irrigação tem por objetivo suprir as necessidades hídricas de uma área de plantio que possua baixa disponibilidade de água ou má distribuição de chuva. Os tipos de irrigação mais utilizados são: superficial, localizada e aspersão.

Irrigação superficial

 Com a irrigação superficial, a água é conduzida para o ponto de infiltração diretamente pela superfície do solo. Para esse tipo de irrigação, os sistemas mais comuns são por inundação e por sulco. Esse sistema é muito utilizado no sul do Brasil, principalmente para as plantações de arroz.
Devido a menor eficiência na distribuição e aplicação de água, este tipo de irrigação consome mais que outros sistemas.
 
Vantagens:
- Baixo custo de implantação, energia e manutenção;
- Requer equipamentos simples;
- O vento não limita a irrigação;
- Menor consumo de energia quando comparado com aspersão;

Desvantagens:
- Dependência de condições topográficas;
- Requer sistematização do terreno;
- Erosões frequentes nos sulcos;
- Ocorrem perdas de água por percolação;
 
Irrigação localizada

Na irrigação localizada, a água é aplicada em pequenas quantidades no solo, diretamente sobre a zona radicular das plantas. Esse processo permite que o solo fique com o nível de umidade ideal para o desenvolvimento das plantas. Essa técnica é muito comum nos dias atuais, sendo utilizada principalmente na produção de frutíferas. Os dois sistemas básicos na irrigação localizada são: microaspersão e o gotejamento.

Vantagens:
- Baixo custo de mão-de-obra e de energia;
- Controle rigoroso da quantidade de água fornecida às plantas;
- Reduz a incidência de pragas, doenças e desenvolvimento de ervas daninhas;
- Grande adaptação aos diferentes tipos de solo;
- Mantém o solo uniformemente úmido e arejado;
- Possibilita o cultivo em áreas com afloramentos rochosos e/ou com declividades acentuadas;

Desvantagens:
- Possui custo inicial elevado;
- Potencial de entupimento dos emissores pela deposição de partículas minerais e orgânicas;
 

Irrigação por aspersão
 
A aplicação de água nos sistemas de irrigação por aspersão se faz pela divisão de um ou mais jatos de água em uma grande quantidade de pequenas gotas no ar, simulando o processo de chuva através de um aspersor. Seus principais sistemas são: convencional, o pivô-central e o auto-propelido.
 
Vantagens:
- Baixo custo de mão de obra;
- Elevada eficiência de aplicação;
- Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes;
 
Desvantagens:
- Devido as folhagens úmidas, pode ocorrer o desenvolvimento de doenças
- Elevados custos iniciais;
- Limitada pelo vento e pela declividade do terreno;
 
 E para que tudo funcione da forma esperada, os tubos e conexões de ferro devem possuir certificações de qualidade, atendendo às exigências do INMETRO, ABNT e demais órgãos de controle. A IPC Brasil é comprometida com a qualidade da sua linha de produtos e com o atendimento aos clientes.